Blog / Destaque / Vídeos longos ou vídeos curtos: Qual o melhor para publicação digital?
Videos nas publicações digitais: formato curto ou longo

Vídeos longos ou vídeos curtos: Qual o melhor para publicação digital?

Os consumidores têm passado cada vez menos tempo em frente as suas tvs, computadores pessoais, lendo jornais ou ouvindo ao rádio. E a cada dia, consumindo mais conteúdos curtos de vídeos nas publicações digitais em seus dispositivos móveis. Apesar da nova escolha dos consumidores, o conteúdo disponibilizado em formato de vídeos longos ainda soma cerca de 360 bilhões de horas de visualização anual, por meio de televisores. Ou seja, o formato tradicional ainda tem muitos números para amortecer a sua queda.

Hoje é inquestionável a importância dos vídeos nas publicações digitais para contar histórias e notícias, as pessoas preferem consumir esse formato porque é muito mais fácil para elas de assimilar a mensagem. Contudo, qual dos dois formatos é o ideal para a sua publicação digital? Tanto os vídeos curtos quanto os longos possuem características únicas que podem ajudar jornais e revistas de diversas formas.

Mas quais são as características e, principalmente, os benefícios de cada um dos formatos de vídeos nas publicações digitais? Abaixo traremos algumas informações importantes para que você saiba qual a escolha ideal para o seu jornal.

Os benefícios dos vídeos curtos

Os vídeos curtos são fáceis e mais baratos de produzir, não requer equipamentos profissionais para produção, trazem de forma rápida e objetiva a informação necessária ao consumidor e, por consumirem menos dados, são ideais para visualização em dispositivos móveis.

No Brasil temos como exemplo para vídeos curtos a Zero Hora, que produz conteúdo em vídeo para explicar matérias que podem ter em torno de 2 minutos. O legal é que eles não abrem mão do capricho na produção:

 

GaúchaZH é um exemplo que utiliza vídeos nas publicações digitais

GaúchaZH é um exemplo que utiliza vídeos nas publicações digitais

Os vídeos longos são mais produzidos, tendo assim ar mais profissional e geralmente são utilizados na televisão, mas é totalmente possível utilizar esse formato na internet. Por serem longos, tem espaço para melhor conteúdo e maiores informações (não podemos esquecer que vivemos em um mundo sedento de informação).

Já como exemplo de vídeos longos, apontamos a Vice como uma das melhores na produção do formato. Trazendo informações preciosas e uma grande produção em vídeos que chegam a ultrapassar os 50 minutos:

Agora que trouxemos um pouco mais sobre cada formato, resta você definir qual o melhor para o seu jornal ou tipo de conteúdo. Nada impede que trabalhemos com ambos os formatos. As vezes cada modelo serve para um tipo diferente de matéria.

Confira também alguns estudos que mostram a evolução de cada modelo.

No ano de 2011 as pesquisas indicavam que o conteúdo em vídeo por meio de dispositivos (PCs, mobile, game consoles e etc) totalizava 21 minutos diários por pessoa. Em 2015 já se tinham os números em torno de 1.25 horas. Os números divulgados pelo eMarketer mostram que os norte-americanos consomem cerca de 5.5 horas diárias de conteúdo de vídeo por meio de seus dispositivos.

Ao mesmo tempo temos a queda no meio dos vídeos longos, que são disponibilizados por meio de programas de TV e que tem seu formato distribuído entre 30 minutos a 90 minutos. Em 2011 apresentavam-se 4.50 horas de consumo diário. Em 2015 o número atingido foi 4.25 horas de visualização diária. Uma queda, porém em uma escala menor se comparada ao crescimento dos vídeos curtos.

Evolução Contínua .

A mudança vai continuar, ainda não se tem oficialmente qual o número de minutos exatos para que se considere um vídeo como curto. Alguns consideram como vídeos de menos de 10 minutos. Outros já falam em vídeos que tenham menos de 5 minutos. A certeza é de que o formato curto é o preferido pela maioria dos consumidores de vídeos em plataformas digitais. Tendo uma penetração no mercado em uma faixa etária entre 12 – 44 anos.

A fome por conteúdo em formato de vídeo é crescente e o seu jornal não pode ficar fora dessa tendência, seja a sua escolha por vídeos curtos ou vídeos longos. Desde que escolha vídeos.

Cadastre-se para receber conteúdo em primeira mão!