Blog / Destaque / The New York Times: o jornal que transformou a dificuldade em receita
o jornal que transformou a dificuldade em receita

The New York Times: o jornal que transformou a dificuldade em receita

O jornal The New York Times, que é considerado referência no jornalismo internacional, tem a segunda maior circulação impressa do mundo e aparece em primeiro lugar entre os portais de notícias mais populares dos Estados Unidos da América. Contudo, nem sempre foi assim, a publicação encontrou dificuldades meio a crise econômica de 2008 e lutou para encontrar uma saída com a mudança da demanda do público que migrava do impresso para o digital.

Como que um dos jornais impressos mais bem vendidos do mundo conseguiu migrar para o digital? Isso sem perder seus fiéis e mais antigos leitores e ainda arrecadar novos assinantes (tanto na edição impressa, quanto na digital). Não foi fácil. Para você entender como isso foi possível, iremos listar algumas das mudanças que ocorreram dentro do jornal e como essas mudanças resultaram no aumento de sua receita.

Internet

O jornal, que iniciou suas publicações na internet em 1996, rapidamente se tornou referência entre seus concorrentes. Foi preciso pensar além do que era feito na época, isso é apenas digitalizar (ou copiar) exatamente aquilo que era veiculado no jornal impresso. O The New York Times teve o cuidado de pensar na diferença de necessidades do público que lia seu conteúdo digital do público de conteúdo impresso.

Diferentes públicos

É essencial entender que o seu público tem diversas necessidades e consome conteúdo em diferentes meios e formas. Tendo isso em mente, podemos destacar duas principais diferenças entre eles:

  • Atenção dada a leitura:O tempo reservado para leitura de um consumidor de jornal impresso é bem maior do que do leitor de jornal digital. O consumidor de notícias em plataformas mobile, por exemplo, costuma fazer uma leitura dinâmica. Ele se informa enquanto se desloca entre casa e trabalho ou no intervalo das suas tarefas e etc.
  • Tipo de conteúdo:O leitor do impresso está acostumado com textos longos e com poucas fotos. Já o consumidor do jornal digital busca algo muito além de uma leitura padrão. Ele quer interagir, compartilhar aquilo que leu de maneira rápida em suas redes sociais e etc. Enquanto o leitor do impresso está pronto para ler uma entrevista que se estende por diversas páginas do jornal, o consumidor digital talvez se sinta mais interessado por uma entrevista que esteja em formato de vídeo ou, até mesmo, apenas o áudio.

Dados

Com suas personas identificadas, o jornal pode então trabalhar de forma que conseguisse agradar ambos os mundos, digital e impresso. Dados divulgados no dia 8 de agosto de 2018 mostram resultados do trimestre do New York Times e apontam questões que se relacionam em sua maioria com o ambiente digital do jornal.

Os números indicam que com o fechamento de Julho em 3,8 milhões de assinaturas, o jornal chega a 62% do faturamento de cinco anos atrás. O próprio CEO do NYT, Mark Thompson, comentou que via o marco de 4 milhões de assinaturas se aproximando de maneira rápida e que agradece especialmente aos assinantes digitais. O motivo desse agradecimento especial é que 2,8 milhões (dos 3,8 totais) vêm de assinaturas digitais.

Paywall

A solução que tornou possível o jornal The New York Times aumentar sua receita a partir do seu assinante digital chama-se Paywall. E é a mesma ferramenta que tem sido implementada em jornais do mundo inteiro. No Brasil, por exemplo, tivemos a Folha de São Paulo como a primeira a utilizar, sendo seguida pelo O Globo e a Zero Hora, entre outros.

O Paywall permite que o leitor tenha acesso ao conteúdo após se tornar lead ou assinante do jornal. Essa plataforma que é integrada ao site permitiu o jornal muar totalmente a sua estratégia. Além disso, o jornal decidiu bloquear conteúdos exclusivos apenas para assinantes, o que gerou mais valor ao material produzido pela publicação.

Existem diferentes formas de usar o Paywall num Portal de Notícias. Uma boa plataforma de Paywall v

ai se adaptar de acordo com as regras do seu negócio.

Com o gigante NYT sendo o principal case de jornal que conseguiu superar a crise econômica e a crise do jornalismo, temos diversos jornais ao redor do mundo que seguem por passos semelhantes e que já mostram crescimento.

Assim, ofertando conteúdo rico, de fonte segura e tendo um estudo de quem é o seu público e qual a sua demanda, existem grandes chances do jornal seguir no mercado e até crescer. É preciso estar de olho nos passos dados pelos grandes jornais e das novidades no mundo do jornalismo.

Cadastre-se para receber conteúdo em primeira mão!