Blog / Jornal e Revista Digital / Otavio Frias Filho e o seu legado deixado ao Jornalismo
Otavio Frias Filho

Otavio Frias Filho e o seu legado deixado ao Jornalismo

Otavio Frias Filho nos deixou no dia 21 de Agosto desse ano, uma perda para a sociedade e para o jornalismo. Seu legado é vasto e suas conquistas únicas. Como profissional, Otavio soube como ninguém se reinventar em meio a crise do jornalismo. E como quem conhecia do passado e já soubesse sobre o futuro, soube exatamente o rumo a tomar quando começavam a falar sobre digital dentro das redações.

No artigo de hoje, vamos falar um pouco sobre Otavio Frias Filho. Mas vamos falar principalmente sobre tudo o que ele mudou no jornalismo e, também, como tudo isso ajudou na evolução para chegarmos até onde estamos hoje na comunicação. Vamos citar alguns de seus feitos para analisar quais estratégias foram tomadas e o porque essas escolhas fizeram tanta diferença a favor do crescimento do jornalismo.

As grandes mudanças no jornalismo brasileiro começaram no final dos anos 80, pode-se dizer que junto ao primeiro grande projeto de Otavio o “Projeto Folha”. O projeto era aplicado no jornal Folha de São Paulo e trazia um conceito de jornalismo crítico, plural e apartidário. Conceito que não mudou só a Folha, mas também a grande maioria dos grandes jornais do Brasil (e do mundo). Ideia que deu base para que os jornais tivessem que prezar por suas reputações e assim manter uma comunicação clara e de fonte segura. O Projeto Folha foi tão bem sucedido e aceito pelo publico que fez com que Otavio (e o jornal, claro) conseguissem quebrar alguns recordes de tiragens, métricas de qualidade editorial e que tivessem grande sucesso quando o assunto era gestão.

Mas como isso aconteceu? Quais foram as estratégias tomadas?

Mudança de pensamento, essa foi a primeira de todas as decisões a serem tomadas. Após uma época marcada pela ditadura, o Projeto Folha trouxe a democracia de volta ao país. Fez com que o dia-a-dia do povo voltasse a ser notícia, trouxe a política em pauta sem que fosse preciso tomar lado de algum partido. O intuito do jornal passava ser o de seu propósito inicial: informar.

O jornal adotou a pluralidade em suas pautas e em seu interior. Aquilo que era escrito, deveria ser aquilo que era pensado dentro da redação. A verdade seria a melhor “vendedora” do jornal. E para que seja possível ter como verdade o plural, é preciso ter uma equipe que seja plural, que junta possa se somar.

Otavio estava sempre atendo ao novo e não tinha medo de mudanças, ele sabia que trabalhar com jornalismo era estar pronto para evoluir junto ao mundo. E não foi por acaso que quando o assunto jornalismo digital chegou aos seus ouvidos, ele foi um dos primeiros a tomar frente para que a migração do impresso para o digital pudesse acontecer dentro do tradicional jornal de São Paulo.

Estar atento as novidades é importante, mas estar atento a demanda do seu leitor, pode determinar o tempo de existência de um jornal. Em resumo, estar atento a demanda foi o que fez com que Otavio fosse um dos maiores Diretores de Redação do nosso país. E, sem dúvidas, parte do sucesso e da credibilidade do jornal Folha de São Paulo passa por ele.

Cadastre-se para receber conteúdo em primeira mão!