Blog / Publicação Digital / Conheça os principais tipos de intertextualidade e como usá-los

Conheça os principais tipos de intertextualidade e como usá-los

Você sabe o que é intertextualidade? Basicamente, trata-se de um recurso que permite que o escritor desenvolva um conteúdo usando como referência elementos de um “texto base”. Assim, pode-se estabelecer, de maneira explícita ou implícita, uma espécie de “diálogo” entre as duas obras.

Existem vários tipos de intertextualidade presentes na literatura, em obras de arte, músicas, charges, mídias sociais etc. Por meio deles, é possível fazer menção de um acontecimento cultural, criticar ou enaltecer uma personalidade e até contribuir para o enriquecimento de um determinado tema.

Esse é um artifício bastante eficiente para melhorar sua qualidade de produção textual. No entanto, apesar de parecer algo simples, é preciso dominá-lo para garantir a criatividade. Então, para lhe ajudar com isso, neste artigo vamos falar sobre os principais tipos de intertextualidade! Confira.

Qual é a diferença entre intertextualidade explícita e implícita?

A intertextualidade pode ser caracterizada de duas formas: explícita (direta) e implícita (indireta). No primeiro caso, temos a citação do texto usado como referência no material produzido — ou seja, são fornecidos elementos que vão ajudar a identificar a presença desse “texto base”. Esse tipo de intertextualidade pode ser usado em resenhas, anúncios publicitários, citações etc.

Já a intertextualidade implícita não estabelece uma relação direta com o texto fonte, por isso, exige do leitor mais atenção e análise para entender a referência do conteúdo. Sendo assim, ela é bastante comum em paródias, poesias, músicas, paráfrases e textos publicitários.

Quais são os principais tipos de intertextualidade?

Independentemente de ela ser explícita ou implícita, existem diferentes tipos de intertextualidade. Confira, então, quais são os principais deles!

Paráfrase

Na paráfrase, a intertextualidade incide na temática. Grosso modo, aqui é utilizado um texto fonte em que a ideia central é reafirmada em um novo conteúdo, com estrutura e estilo próprio.

Paródia

Já na paródia ocorre a alteração da temática do texto base de maneira que a ideia expressada nele seja contrariada. Para isso, são utilizados tons de ironia e sátira, geralmente para evidenciar a crítica e a reflexão por meio de um momento de usufruição e gracejo.

Referência ou alusão

Na referência ou alusão, a intertextualidade não ocorre de maneira direta, pois são usadas características secundárias do texto fonte. Esse tipo costuma ser empregado em conteúdos cujo objetivo é oferecer uma sugestão ou alusão a um acontecimento, personagem etc.

Epígrafe

A epígrafe é o uso de um texto fonte na introdução de um novo conteúdo. Essa técnica é muito usada em trabalhos acadêmicos, por exemplo, inserindo-se frases ou trechos de pensamentos que servem de apresentação do conteúdo que virá a seguir.

Pastiche

O pastiche ocorre quando se reproduz traços do estilo ou técnicas específicas presentes no texto base (geralmente relacionadas ao seu autor), sem a intenção de criticá-los ou satirizá-los. Esse tipo de intertextualidade é bastante comum em músicas e imagens.

Citação

A citação é um recurso muito usado no meio jornalístico, pois tem a finalidade de proporcionar credibilidade ao novo texto. Por isso, inclusive, costuma ser feita de forma direta, reproduzindo trechos do texto fonte. Nesses casos, a referência precisa ser destacada com aspas e constar a identificação do seu autor.

Por fim, como dissemos, entender todos esses diferentes tipos de intertextualidade é uma forma eficiente de melhorar a qualidade dos seus textos. Afinal, o intertexto serve para ilustrar a importância de ter conhecimento sobre o que acontece no mundo, e de como isso pode interferir na compreensão do conteúdo.

Além disso, os benefícios de dominar essa técnica são bastante visíveis. No caso de um anúncio publicitário, por exemplo, além de difundir a cultura a intertextualidade pode ser usada como uma forma diferente de persuasão, induzindo o leitor a adquirir seu produto e/ou serviço de maneira criativa e personalizada. Lembre-se disso!

Então, gostou da leitura? Agora que você já conhece os principais tipos de intertextualidade, aproveite para ler também estas dicas para deixar a reunião de pauta mais produtiva!

Cadastre-se para receber conteúdo em primeira mão!