Blog / Jornal e Revista Digital / A reestruturação da editora Abril e o que aprendemos com isso
A reestruturação da editora Abril e o que aprendemos com isso

A reestruturação da editora Abril e o que aprendemos com isso

No dia 06 de agosto tivemos o comunicado oficial de que a editora Abril estava encerrando seis títulos de revistas da sua editora (Arquitetura e Construção, Boa Forma, Casa Claudia, Cosmopolitan, Elle e Minha Casa), além de anunciar uma restruturação completa no quadro de colaboradores.

A trajetória da editora é um ótimo case para ser estudado. Os motivos que levaram a editora Abril a chegar nesse estágio são comuns a outras editoras ao redor do mundo. É possível aprendermos lições valiosas com os erros e acertos das editoras para melhorarmos a gestão dos nossos negócios.

Como deve ser uma redação de um jornal ou revista digital?

A diversidade cultural dentre seus profissionais foi importante para que a editora Abril começasse a se destacar entre as concorrentes e foi uma das chaves para a durabilidade de seu sucesso durante muitos anos.

A autonomia dada aos jornalistas dentro da redação é outro ponto importante que deve ser implementada dentro de uma redação de jornal ou revista digital. O jornalista deve ser capaz de idealizar sua pauta, escrevê-la e apresentá-la da melhor forma possível. Só que para isso, ele precisa ter autonomia para fazer ou, ao menos, para opinar dentro de todo o processo de criação, edição e publicação.

A Era das Capas acabou

Uma outra coisa que afetou diversas editoras foi a mudança de perfil de consumo dos leitores. Antigamente, uma capa era suficiente para atrair um público desconhecido que não era assinante da publicação. Hoje, isso não é mais suficiente. As pessoas se importam mais com o conteúdo e a experiência de consumo desse conteúdo. Isso é algo que uma chamada de capa forte não consegue suprir sozinha. É preciso também avaliar a importância do digital no impacto das vendas de assinaturas e edições avulsas das editoras.

Estar atento e, principalmente, entender as demandas dos leitores é de suma importância para a oferta de conteúdos de qualidade. Para ajudar nesse processo, a criação da redação integrada é essencial.

Nos dias de hoje em que temos uma infinidade de opções de plataformas utilizadas para o consumo de informação, ter foco na produção multimídia e adequar a produção de conteúdo para o fortalecimento digital são passos que devem ser dados.

A criação de um núcleo de inteligência digital, onde exista um departamento de métricas de audiência, para entender as preferências do leitor pode ser de grande ajuda.

“O GLOBO foi o primeiro entre os grandes veículos de mídia impressa no Brasil a transformar a maneira como a redação trabalha, priorizando a produção voltada para o site. A transformação se refletiu no crescimento de 24% nas assinaturas digitais, entre dezembro e janeiro de 2017, segundo o IVC”, avaliou o diretor-geral da Infoglobo, Frederic Kachar.

Não basta dizer que o seu jornal ou revista se importa com o digital e então oferecer um portal de notícias. Isso já é considerado o básico do que um jornal sério tem a oferecer ao seu leitor. O jornalismo digital avança de forma rápida e ágil e é dessa mesma forma que as atualizações no setor devem ser feitas.

Cadastre-se para receber conteúdo em primeira mão!